Estado Federal brasileiro: centralismo, impropriedades normativas e algumas relações com os novos direitos

Aristides Cimadon

Resumo


O presente artigo traz algumas observações sobre o Federalismo brasileiro. Procura relacionar a impropriedade da legislação que impede, de certa forma, a autonomia dos Entes federados para buscar soluções dos problemas locais. Faz uma abordagem sobre o Estado de Direito brasileiro, cujas políticas de governo pretendem equacionar os problemas por intermédio do princípio da legalidade, sendo a Constituição o principal instrumento normativo. Por outro lado, alerta sobre os perigos da interpretação normativa com decisões dos juízes e tribunais fundamentadas, primordialmente, nos princípios constitucionais. São abordados alguns instrumentos legais como mecanismos de proteção aos direitos fundamentais individuais e sociais. Entre eles, discorre sobre a intervenção judicial, como determinação para o cumprimento de políticas públicas; sobre a criação do Conselho Nacional de Justiça, como órgão de controle do Poder Judiciário; sobre o princípio da separação dos Poderes; sobre a ineficácia das Comissões Parlamentares de Inquérito, do Plebiscito, do Referendum e da Iniciativa Popular. O artigo apresenta argumentos sobre a ilusão da democracia e da participação popular e alerta para a formação de uma consciência forjada pelos meios de comunicação e pela retórica de marketing. Enfim, procura demonstrar que o Federalismo brasileiro não cumpre os princípios de descentralização e de autonomia de competência dos Entes Federados.

Palavras-chave: Estado Federal. Estado de Direito. Democracia. Separação dos Poderes. Direitos Fundamentais.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Licença Creative Commons
Espaço Jurídico: Journal of Law de Editora Unoesc está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://editora.unoesc.edu.br/index.php/espacojuridico/index.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://editora.unoesc.edu.br/

 

ISSN 2179-7943 |

Quadrimestral (3 números por ano)

INFORMAÇÃO: De 01.03.2013 a 25.01.2017 a EJJL adotou o contador de acessos Código Fonte e registrou 153.852 acessos únicos.
Para acompanhar também o acesso em outros países, a partir de 26.01.2017 adotamos um novo contador.
 
Visitas a partir de 26 janeiro 2017

contadores de visitas

Share