Tratados Internacionais, judiciário e política externa: uma análise dos julgados da Suprema Corte Brasileira

Ênio Saraiva Leão

Resumo


É crescente o estudo sobre a judicialização da política, fenômeno que resulta no deslocamento da discussão de diversos temas da arena política para um tribunal. No entanto, pouco tem sido discutido sobre as consequências dessa prática para os Estados na condução da política externa em um mundo cada vez mais interdependente, onde a política doméstica influencia e é influenciada não apenas pelo contexto político interno, mas também o internacional. Some-se a tal contexto a crescente legalização do sistema internacional com o surgimento de diversos Tribunais e na sobreposição de jurisdições que tendem a serem exploradas de acordo com os interesses de grupos políticos e pode, em razão da tênue linha entre o doméstico e o internacional, resultar em externalidades para o Estado. Este trabalho busca descobrir, a partir da análise quantitativa de processos julgados pelo STF a partir da promulgação da Constituição de 1988 responder se o Judiciário brasileiro, em razão da sua crescente capacidade de controle dos atos do Executivo, inclusive em matéria de política internacional, pode ser considerado como um novo ator participante do processo de formulação da política externa brasileira.

Palavras-chave: Judicialização da Política. Política Externa. Brasil.


Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários
 |  Incluir comentário

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Licença Creative Commons
Espaço Jurídico: Journal of Law de Editora Unoesc está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://editora.unoesc.edu.br/index.php/espacojuridico/index.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://editora.unoesc.edu.br/ ISSN 2179-7943 Acessos a partir de 20 de março de 2013