Novo número: V16, n2, 2015.

Prezados autores e leitores,

 

A EJJL | Espaço Juridico Journal of Law, comunica seu público leitor a publicação de novo número: V16, n2, 2015.

 

Estamos muito honrados com a conquista e, igualmente, bastante conscientes de nossas novas responsabilidades editoriais.

 

Por isso, preparamos algumas inovações que já fazem parte desta edição, e outras que vêm pela frente.

 

INOVAÇÕES EDITORIAIS E DE GESTÃO

 

A primeira é que algumas modalidades de artigos terão prioridade de avaliação e publicação a partir dos próximos números: os escritos por autores (ou em coautoria com autores) estrangeiros; artigos que resultam de pesquisas financiadas por órgãos de fomento; textos elaborados por autores com doutorado, autores que sejam docentes de Programas de Mestrado/Doutorado; textos escritos em inglês, e textos em outra língua estrangeira.

 

A segunda é que neste número implantamos o DOI, como anunciado em momento anterior. Além de ser recomendado para Revistas do estrato “A”, o DOI traz importantes vantagens para autores e periódicos, tais como a segurança de identidade do artigo, rastreabilidade e difusão internacional via base de dados do sistema CrossRef.

 

Quanto a essas inovações, a EJJL trata apenas de se adequar a diretrizes do Comitê Qualis (CAPES) para Revistas do estrato “A”. Entretanto, nenhum desses novos critérios prejudicará os trabalhos de alta qualidade de autores que neles não se enquadram.

 

Além disso, qualificamos os procedimentos de avaliação preliminar: agora nós a realizamos em duas etapas, inicialmente por 4 editores adjuntos e, a seguir, por 4 editores de seção. Também ampliamos o quadro de avaliadores ad hoc com a função de realizar o blind review, que ocorre na etapa seguinte, após a avaliação preliminar.

 

Outra inovação é a aprovação antecipada. Todos os artigos científicos publicados neste número 2 foram aprovados no primeiro semestre de 2015, ou antes. Esta política de aprovação com, ao menos, um semestre de antecedência, foi implantada em 2014 e assegura nossa periodicidade e regularidade.

 

A fim de agilizar procedimentos, agora uma secretaria especializada assessora o comite editorial e responde pelo email: ejjl@unoesc.edu.br

 

Finalmente, este é o último número da EJJL com periodicidade semestral. Neste ano de 2015, já teremos um número especial que será publicado até dezembro, como ensaio desse esforço inovador que deve se concretizar  a partir de 2016, quando a EJJL passa a ser quadrimestral (N1 em abril, N2 em agosto e N3 em dezembro) ampliando, assim, a oportunidade para a publicações.

 

OS ARTIGOS

 

Quanto aos artigos deste número, além do texto inédito, em inglês, de autoria do Prof. Robert Alexy - e a nova seção para discutir sua teoria dos direitos fundamentais - destacam-se também as contribuições de cinco de nossos conselheiros editoriais: a do Prof. Roberto Nania, da Università di Roma, La Sapienza, que explora o modelo italiano de proteção constitucional da liberdade individual no espaço de nosso Editorial, a do Prof. Christian Courtis, do Alto Comissariado de Direitos Humanos, ONU, sobre o Protocolo Facultativo ao PIDESC, as dos Professores Ingo W. Sarlet (PUC-RS), por um lado, e Eduardo Biacchi Gomes (Unibrasil), por outro, sobre a interpretação dos direitos fundamentais sociais em contexto de crise econômica, e a contribuição da Profa. Leticia Martel sobre o direito de inicio e fim da vida.

 

Nós agradecemos muito a colaboração intensiva dos Conselheiros Editoriais para este número. Os demais trabalhos são submissões espontâneas. Trazem resultados inéditos de pesquisa acadêmica, há novas abordagens para temas já presentes na doutrina e há crítica à doutrina e à jurisprudência, todos em linha com nossa preocupação de colaborar para o desenvolvimento da teoria dos direitos fundamentais no Brasil.

 

A EJJL continua seu trabalho de difundir a pesquisa brasileira em direitos humanos e direitos fundamentais, mantém seu escopo de oferecer contribuições científicas relevantes para melhorar a compreensão teórica e, igualmente, a atuação de governos e sociedade em relação ao dever de respeitar, proteger e promover a realização desses direitos.

 

Em nome de nossa equipe editorial, externo nosso agradecimento à UNOESC, à Coordenação do PPGD-UNOESC, ao Conselho Editorial, aos autores, avaliadores e aos nossos mais de 110.000 visitantes do site da EJJL.

O Sumário desta edição está disponível logo abaixo.

 

Para acessar o site da EJJL, clique aqui:

http://editora.unoesc.edu.br/index.php/espacojuridico/issue/view/176

 

Boa leitura,

Carlos Luiz Strapazzon

Editor-Chefe
Chapecó, SC, 05.Set.2015